Do retrô ao moderno: O design dos anos 1980 nos dias atuais

Se nos anos 1980 vivíamos com a cabeça nos céus, imaginando que nos anos 2010 um mundo em que a tecnologia, robôs e automação digital estariam presentes em cada aspecto de nossas vidas, hoje vemos que a realidade é extremamente próxima e, ao mesmo tempo, completamente distante do que imaginamos.

Ainda não vivemos rodeados por robôs, mas certamente estamos cercados de influências vistas nos designs criados por artistas dos anos 1980, já que, como mostrado em um post do Buzzfeed, os designers não estavam tão distantes do que vemos atualmente. Confira abaixo os maiores erros e acertos:

Nos anos 1980, os computadores eram recursos distantes da realidade da maioria da população. Era preciso desenvolver trabalhos específicos e ter uma boa quantia em mãos para ter acesso a essas máquinas poderosas.

Atualmente, os computadores estão tão presentes em nossa realidade que é difícil encontrar pessoas com pouca ou nenhuma familiaridade com essas máquinas. De equipamentos de mesa até os smartphones, realizamos as mais diferentes tarefas de qualquer lugar.

É verdade, temos carros potentes. Porém, por questões de segurança, a velocidade máxima alcançada pelos carros atuais pode ser considerada um tanto menor que do que os de antigamente.

Conforme a tecnologia envolvendo o desenvolvimento dos carros cresceu, percebeu-se que para manter o automóvel seguro em certas velocidades, era preciso uma estrutura que tornaria os carros mais caros e mais pesados e por consequência, mais caros.

Se antes costumávamos frequentar bancas de jornal e revistas, atualmente acessamos revistas eletrônicas diretamente de nossos celulares, afinal, com a rotina cada vez mais corrida, ter em mãos suas notícias e publicações favoritas é essencial.

Por isso, o impacto do design de capa, que antes era o ponto mais importante das revistas, acaba perdendo o destaque. Agora, o design de cada artigo é relevante.